Assine pelo Desmatamento Zero

quarta-feira, julho 11, 2012

Places"'E - Como fazer uma horta

Como fazer uma horta:
Quem não gosta de alimentos sempre frescos e seguros? Quando temos espaço disponível, fazer uma horta em canteiros é a melhor opção. Cuidar de uma horta é mais que um hobby, é uma verdadeira terapia.

Para fazer sua própria horta não há regras, sua criatividade poderá ser bastante explorada.
A seguir, apresentaremos um guia, para que você possa fazer sua horta de maneira muito fácil e prática.


Horta caseira
Horta caseira
Neste artigo, mostraremos passo a passo como fazer sua própria horta. Separamos em alguns tópicos, para que sua leitura seja mais fácil e agradável.

Escolhendo o que e onde plantar

Antes de tudo, devemos ver qual é o espaço no qual iremos fazer nossa horta, checando o nosso local disponível. Cheque se há iluminação suficiente, se o solo está em boas condições, etc.
A escolha do que plantar é primordial para iniciarmos a nossa horta. Existem muitas hortaliças com sementes disponíveis à venda em pequenas embalagens. O que devemos levar em conta para escolher o que plantar?

• clima exigido pela planta. Geralmente essa informação é encontrada na embalagem das sementes.
• espaço disponível para a horta.
• grau de dificuldade de cultivo - preste atenção, há plantas que são difíceis de manter.
• número de colheitas possíveis - plantas como o repolho são colhidas de uma vez só, já a couve-manteiga, ou alface podem ser colhida aos poucos, ao longo da vida da planta.
Alface obtida em horta caseira
Alface obtida em uma horta orgânica caseira

Não sabe o que plantar?
Temos sugestões: Couve-manteiga, alface, cebolinha, rabanetes, beterrabas, tomate-cereja (exige suporte), cenoura, inhame, ervas aromáticas, milho-verde, rúcula, vagem, etc. Essas são plantas que geralmente se dão bem com iniciantes na maioria dos ambientes.
Como descobrir tudo isso?
É fácil, está tudo escrido na embalagem das sementes.

Verifique na embalagem das sementes se é necessária a semeadura em bandejas ou a semeadura pode ser feita diretamente no solo.  


Entenda melhor as embalagens de sementes


Seguir as instruções das embalagens das sementes que compramos é essencial para um bom jardim ou horta, pois lá estão as informações sobre quando plantar, onde plantar e como plantar.
Entretanto, muitas vezes a linguagem utilizada nelas torna os dados mostrados quase incompreensíveis pelos que desejam plantá-las em casa.
Aqui nós te explicaremos item por item uma embalagem de sementes, mostrando o que cada especificação quer dizer.



Exemplo de embalagem com legenda abaixo
  1. Época de plantio: Indica os melhores meses para o plantio da planta em questão na região. A maioria das plantas pode ser plantadas em qualquer outro mês, mas seu rendimento será menor nestes casos. Algumas plantas podem ser semeadas o ano todo com excelentes resultados, como é o caso do nosso exemplo.

  2. Modo de plantio: É na realidade a semeadura. Nesse caso, a embalagem sugere uma prática inadequada ao caso. O mais adequado nesse caso seria o plantio em sementeira (bandejas), para que o transplante seja mais fácil.

  3. Irrigação: indica os cuidados gerais de regas para a cultura.

  4. Germinação: Indica quantos dias, em média, as sementes demoram para emergir após a semeadura.

  5. Canteiro definitivo: dá uma sugestão de como o canteiro deve ser moldado, indicando o melhor espaçamento entre as linhas e entre as plantas, além da altura adequada ao canteiro.

  6. Transplante: Transplante é a transferência da pequena muda, da sementeira para o canteiro.

  7. Observações: Indica o tempo que a planta leva para chegar ao ponte de ser colhida (ciclo), número estimado de sementes por grama de sementes, entre outras indicações.
Outras informações podem ser mostradas na embalagem, como:
  • Desbaste: Consiste em arrancarmos as plantas menos vigorosas, deixando assim o espaçamento desejado.

  • Germinação: Nem todas as sementes que plantamos germinam, isso depende da qualidade e tipo da semente. Por isso, as sementes vendidas indicam qual é a porcentagem aproximada de sementes que germinam corretamente.

  • Validade: é uma data estipulada, a partir da qual as sementes começam a preder suas características originais.

  • Pureza: As sementes que compramos possuem impurezas, como areia, terra, etc. Por isso, a embalagem fornece a porcentagem da massa que é consituída por sementes.
As informações são muitas. Mas não precisam ser seguidas à risca. Além disso, algumas informações são ruins e mal ditas. Adapte essas dicas para a sua situação, nesse caso, o bom senso é essencial.

Semeando em bandejas
Caso seja necessária a semeadura em bandejas, siga os passos desse item. Caso a semeadura possa ser feita diretamente no solo, pule ao item seguinte do nosso artigo.
Como obter bandejas?
As bandejas de isopor podem ser encontradas em casas agrícolas. Mas há um custo, o número de células (divisões) é normalmente só acima de cem, além de às vezes, não ser tão fácil encontrá-las à venda para uso doméstico, só para produções comerciais. Mas, aqui nós te mostramos alternativas simples que levam o custo para quase zero.

Como semear?
Atenção, essa etapa é muito importante e deve ser feita com cautela. A semeadura fica melhor se feita com o solo pouco úmido, não muito seco, muito menos molhado. É melhor colocarmos sempre um pouco de sementes em cada espaço.
Evitando espaços vazios
Normalmente, nem todas as sementes germinam. Para não ficarem espaços vazios, é recomendado que sejam colocadas mais de uma semente em cada espaço, para que retiremos a que estiver pior. Essa seleção das melhores plantas, chama-se "desbaste".
Para sementes grandes , cave uma linha de acordo com a produndidade recomendada. Coloque as sementes com o espaço desejado, e cubra o local devolvendo o solo cuidadosamente.

Para sementes pequenas, um truque é separar um pouco de solo, o suficiente para cobrir as sementes. Quebre os torrões que houverem, deixando o solo retirado como um pó leve. Coloque as sementes cuidadosamente sobre o solo, na quantidade e espaço desejados. Coloque uma fina camada do solo refinado sobre as sementes.


Semeie na profundidade recomendada, cobrindo com terra fofa
Regue a bandeja levemente
Para terminar a semeadura, a rega é essencial. Mas lembrem-se, nos primeiros dias devemos regar bem, mas com uma lâmina bem fina de água, nunca jogando jatos de água.

Como fazer sementeiras alternativas?
Muitas plantas precisam ser semeadas em sementeiras antes de passar ao canteiro definitivo. Mas nem sempre temos sementeiras disponíveis para o nosso uso.


Se você não tem sementeiras em casa, você pode fazer a sua própria em casa! Aqui nós te ensinamos a fazer sementeiras (bandejas) alternativas para a produção de mudas. Ela sai quase a custo zero! Vejam as alternativas:




Sementeiras de jornal
Material utilizado
Para fazer as bandejas de jornal, somente 3 materiais muito simples serão utilizados: jornal, fita adesiva (durex), e um pote de filme.
Colocar uma foto de um jornal, fita adesiva e um potinho de filme fotográfico.



Procedimento
Corte uma folha grande em 16 pedaços; Dobre o papel ao meio; Enrole o papel no tubo de filme; Fixe a ponta com fita adesiva;
Faça a primeira dobra para fechamento; Faça a segunda e terceira dobra; Fixe a aba com durex, pressionando bem; Retire o papel do tubo de filme;
   
Está pronto. Fácil, não?     Faça quantos tubos forem necessários.



Onde deixar a bandeja semeada?
A bandeja deve ser colocada em um local com um pouco de luz, não em pleno sol, de preferência um local fresco, podendo ser à meia sombra. Se estiver utilizando as bandejas de isopor, não a coloque apoiada em uma superfície lisa, isso impediria o escoamento de água.
A bandeja deve ser regada regularmente, pois a terra nessas bandejas seca muito rápido. Mas não devemos encharcar demais a terra, procurando molhá-la com uma lâmina fina de água, nunca jogando jatos de água, isso deslocaria o solo e derrubaria as pequenas e frágeis plantas emergidas.

Aguarde o desenvolvimento das plantas
Deixe a bandeja em descanso até que as plantas atinjam uma certa altura, normalmente de uns 5 a 10 cm(essa altura é especificada na embalagem da semente). Isso normalmente leva de 10 a 20 dias, quando as plantas estão suficientemente fortes para serem plantadas na horta.
O tamanho que as plantas devem estar para serem transplantadas é especificado nas embalagens das sementes, não ultrapasse muito esse tempo, pois isso fará com que a planta fique atrofiada.
Aprendendo a regar as plantas
Queremos que nossas plantas fiquem bem saudáveis, mas como devemos regá-las corretamente? .
Aprendendo a Regar plantas
 Elas usam a água para todos os seus processos, inclusive absorver nutrientes da terra e fazer a fotossíntese. Uma rega correta possibilita a planta de mostrar o seu máximo potencial em beleza e produção.

regando um vaso de plantas
Tome cuidado: não encharque demais o vaso.
Que horas devo regar?
Os melhores horários são de manhã e no fim da tarde (depois das 15h). Ao contrário do que muitos acreditam, regar ao meio-dia não cozinha as folhas. O que ocorre é que boa parte da água que jogamos se evapora ao meio-dia, pois é um horário muito quente.  À noite a planta absorve pouca água, e suas folhas demoram muito a secar. Para evitar o aparecimento de fungos, é melhor evitarmos regas à noite.
Curiosidade: 'Regar' ou 'irrigar'?
Muito se confunde o termo “irrigar”, ou “irrigação”, com o “regar”, ou “regas”. Essa diferença não é muito importante para nós, mas vale a pena entender. O termo “irrigar” faz referência às regas com quantidade de água minuciosamente controlada, calculada com base em vários fatores, o que quase nunca ocorre em jardins. O termo “irrigação” é utilizado amplamente na agricultura, o termo “rega” é utilizado para jardins e outros pequenos cultivos.

De quanto em quanto tempo regar?
Não siga as regras à risca. Não recomendamos a utilização de regar regradas, do tipo “dois copos de água, a cada 3 dias”, pois isso não funciona bem. Temos dias mais quentes e outros mais frios, mais secos ou mais úmidos, mais ensolarados ou menos... Cada dia a perda de água é completamente diferente do outro. Assim, regas regradas demais levam ao excesso ou falta de água em alguns dias.

Água demais prejudica sua planta também. Por isso, mexa na terra com um palito ou com seu dedo. Veja se está seca ou úmida por baixo da superfície antes de regá-las.
Algumas plantas precisam de regas mais freqüentes e outras menos. Verifique suas plantas a cada 2 dias. Se já estiver molhado, deixe para outra hora.

Quanta água colocar?
Isso dependerá de outros fatores, mas como uma regra geral, evite encharcar a terra (existem exceções).  Água demais “afoga” as raízes, que também precisam de ar, além de aumentar o aparecimento de fungos e doenças. Regue devagar, parando quando a água começar a demorar um pouco a entrar na terra, ou quando a água escorrer ao fundo de um vaso.

Molhar as folhas tem problema?
Depende da planta. Plantas de folhas sensíveis, como as violetas, não devem ter suas folhas molhadas
.
Molhar as folhas não é necessário, mas às vezes inevitável. Quando puder, aplique a água na base da planta ou em pratinhos, pois manter as folhas secas reduz a possibilidade de algumas doenças.
No caso de pratinhos, evite mantê-los cheios d’água, pois isso é indício de excesso, e sempre coloque areia grossa, para evitar a proliferação do mosquito da dengue!

Como preparar o canteiro
Antes de plantar no canteiro, precisamos prepará-lo para receber as plantas. Passos bem simples devem ser seguidos:
  1. Afofe bem a terra
    A maioria das hortaliças têm raízes frágeis, que não conseguem crescer em solos compactados. Sendo assim, devemos afofar a terra do canteiro. É recomendado o uso de enchadões para essa etapa, mas se não possuir, pode-se usar uma pá, mas o trabalho fica bem maior. Só faça isso como solo seco ou levemente úmido, pois trabalhar com solo molhado torna o solo duro como um tijolo.

  2. Dê forma ao canteiro
    Em espaços maiores, é preferível que sejam feitos canteiros elevados. Eles servem principalmente para podermos caminhar entre as plantas sem esmagar o solo utilizado pela planta, e também para evitar o empoçamento de água. Em espaços muitos pequenos isso não teria utilidade.

  3. Hora de misturar o adubo no solo
    Se desejar adubar o solo incluindo húmus de minhoca, esterco curtido, terra vegetal, NPK, uréia agrícola, entre outros adubos orgânicos ou minerais, essa é uma boa hora de misturá-los à terra do canteiro. Misture-os bem no solo até uma camada de uns 10cm de profundidade, sempre utilizando as medidas recomendadas. Nunca devemos exagerar no adubo, seu excesso pode matar a planta.
    Depois da adubação, é recomendável que aguardemos um período de 10 a 15 dias para que o adubo entre em equilíbrio no solo, evitando assim futuros problemas.
Plantando as mudas ou sementes

Essa é uma das etapas mais gratificantes. Caso for transplantar mudas feitas em bandejas, evite dias muito quentes, prefira dias nublados.
Marque o espaçamento
Na embalagem das sementes sempre há uma indicação sobre o espaçamento entre linhas e entre plantas. Mas não fique muito preocupado em deixar exatamente naquele espaçamento recomendado na embalagem, ele não precisa ser seguido à risca. O importante é não deixar as plantas muito juntas, já que isso pode prejudicar o desenvolvimento da planta. .

Para facilitar, faça alguns riscos no solo, marcando as linhas onde as sementes ou mudas serão colocadas.

Plante na profundidade certa
Caso vá plantar com sementes, é importante verificar a profundidade recomendada para a semente. Esse dado pode ser facilmente encontrado na embalagem da semente.

Sementes plantadas muito fundas podem não conseguir subir à superfície e morrer. Sementes plantadas muito rasas podem gerar plantas fracas que tombam facilmente. Não precisa ser a medida exata, mas evite erros grosseiros.

Enfim, como plantar?

• Para sementes:
Abra pequenos sulcos nas linhas, com a profundidade desejada, colocando as sementes com cuidado. Lembre-se que nem todas as sementes germinam, por isso, recomenda-se colocar sempre um pouco a mais de sementes. O excesso de plantas será retirado no desbaste, como veremos a seguir. Cubra as sementes com terra fina ou serragem, evite cobrir com torrões de terra, que podem impedir a emergência da planta.

• Para plantar mudas:Cave uma pequena cova e coloque a muda com cuidado, evitando a quebra de raízes, cobrindo a base com um pouco de terra. Aperte levemente a terra ao redor da muda para acomoda-la. É o melhor modo para tomates, por exemplo.

Regas nos primeiros dias
Para terminar a semeadura, a rega é altamente recomendável, sempre que possível. Mas lembrem-se, nos primeiros dias devemos regar bem, mas com uma lâmina bem fina de água, nunca jogando jatos de água. Esse cuidado torna as regas dos primeiros dias bem mais demoradas, mas essa demora compensa pelo resultado.

A lâmina d'água deve ser bem fina nas primeiras regas
Acompanhe o desenvolvimento
Devemos aguardar a emergência das plantas, até que elas atinjam uma certa altura, normalmente de uns 5 a 10 cm(essa altura é especificada na embalagem da semente), para que passemos para a etapa seguinte.

Manutenção do canteiro

Manter o canteiro costuma ser fácil, quanto mais rústica for a planta, mais fácil será seu cultivo. Alguns são os cuidados básicos, colocamos eles aqui listados.
Como regar?
As regas devem ser de acordo com a cultura. Em geral, devem ser regulares, mas sem encharcar o solo. Algumas culturas, como a alface, são mais sensíveis à falta d'água, outras, como a couve-manteiga, não são tanto. Para saber mais sobre regas.

Como controlae as ervas daninhas?
Uma erva daninha, é qualquer planta que esteja crescendo em nossa horta, que não seja o que queremos cultivar. Elas podem ser prejudiciais por puxarem a água e nutrientes do solo para que cresçam, diminuindo a quantidade de água e nutrientes disponíveis à planta que queremos cultivar. Para eliminá-las, obviamente não é recomendado que sejam jogados herbicidas, que são venenos, o que seria completamente desnecessário. O ideal é que arranquemos as ervas daninhas manualmente, de tempos em tempos.
 
Aprenda a lidar com os insetos
Caso a horta esteja sendo atacada por insetos, devemos analisar caso a caso. A presença de insetos variados no solo, não significa que eles devam ser mortos. Só devemos eliminar os insetos que estão atacando a planta. Uma boa diversidade de insetos é sinal de que o solo é um solo saudável, em equilíbrio. A presença de uma ou duas espécies infestando, de forma dominante, é sinal de que sua horta está desequilibrada.
 
Evitando o aparecimento de doenças
Doenças podem surgir eventualmente no seu jardim, para aprender como controlar as doenças,


Como adubar?
Após a primeira adubação, feita antes ou durante o plantio, temos as adubações chamadas "adubações de cobertura", que são as adubações feitas após o plantio. As épocas, doses e tipos de adubação de cobertura são normalmente especificados na embalagem do próprio adubo.

Finalmente, podemos

Como evitar doenças no jardim



O que são doenças de plantas?
Doenças de plantas são distúrbios da planta causados por um determinado agente. O ramo da agronomia que estuda as doenças das plantas é a fitopatologia.

As doenças de plantas podem ser causadas por diversos tipos de microrganismos: fungos, bactérias, vírus, entre outros. A maioria das doenças de plantas é causada por fungos.

O que pode parecer óbvio para uns, para outros é uma novidade: Doenças de plantas nunca poderão causar doenças em animais, e vice-versa. O que pode causar problemas são as toxinas geradas pela ocorrência da doença na planta, podendo intoxicar os seres humanos.
Fungos causam doenças?
São muitos os tipos de fungos existentes. O cogumelo, por exemplo, é uma parte de um fungo, chamada de corpo de frutificação. Tente imaginar os fungos como vários fios finos, chamados de “hifas”, que penetram nos tecidos da planta, sugando água e nutrientes da planta.
Remoção de folha de tomateiro doente
Remover as folhas doentes reduz a infestação
Um aspecto básico dos fungos é que sua reprodução é geralmente favorecida pela presença de água, seja da chuva, da irrigação, do orvalho, ou mesmo da umidade do ar. Ou seja, quanto mais água e umidade, mais fungos!

Você geralmente não precisa saber qual doença específica a sua planta do jardim tem. Não há necessidade de sabermos qual é o fungo que está atacando determinada planta, já que os meios de controle não são específicos.
Causadores de doenças no jardim:
São vários os meios de uma doença se espalhar pelas plantas do seu jardim, mas é possível evita-las. As causas mais prováveis estão listadas a seguir:
  1. Excesso de água na rega - Causa excesso de umidade e apodrecimento da planta.
  2. Má drenagem - Gera acúmulo de água na base da planta.
  3. A doença está no ambiente - Impossibilita cultivar certas plantas em algumas regiões.
  4. Planta muito sensível - Algumas plantas tendem a sofrer mais ataques de doenças que outras.
  5. Planta estressada - Luz, regas, ou podas inadequadas, e falta de nutrientes podem causar enfraquecimento das plantas..
  6. Insetos transmissores -Os pulgões, por exemplo, podem transmitir alguns vírus às plantas.
Como evitar as doenças no jardim?
Para evitar que seu jardim fique infestado de doenças, alguns são os cuidados que devemos tomar:
  1. Regue corretamente - Nem regue nem muito mais, nem muito menos. Ao observar fungos na planta, reduza as regas.
  2. Elimine as plantas e ramos doentes - Não adianta, as folhas ou galhos que já foram atingidos não serão mais recuperados. Para evitar que a doença se espalhe ainda mais, corte os galhos e folhas doentes, ou arranque as plantas atingidas.
  3. Evite compactar a terra -Procure quebrar os torrões da superfície, adicionar matéria orgânica ao solo, não jogar jatos fortes de água no solo, manter o solo coberto com folhas, pedriscos, ou outros materiais.
  4. Adube corretamente as plantas - Com o suprimento total de nutrientes, a planta consegue se defender melhor de ataques de doenças.
  5. Deixe sua planta na luz certa - Isso evita condições estressantes à mesma, o que favoreceria o aparecimento de doenças.
  6. Evite pulgões - Controle-os com pulverização de caldo de fumo ou de água com detergente.
  7. Evite plantas que tem problemas na sua região - Plantas de clima quente, quando plantadas em clima frio, podem contrair mais doenças.
  8. Elimine as plantas muito doentes - Não adianta insistir na mesma planta, algumas não podem ser plantadas nas condições do seu jardim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário