Assine pelo Desmatamento Zero

terça-feira, maio 22, 2012

Place"'E - Máquinas de Guerra:Trabuco

Máquinas de guerra:


 Trabuco:

O trabuco foi uma arma poderosa usada na Idade Média, de grande alcance e com capacidade para deitar abaixo muros ou para lançar projécteis sobre eles. Neste artigo vamos dar a conhecer mais características desta potente arma medieval.

A origem do trabuco Trabuco:

Acredita-se que os primeiros trabucos foram usados na China, por volta do ano 400 a.C. e só chegaram à Europa sensivelmente em 600 d.C. O trabuco ou trabuco de contrapeso começou a ser menos utilizado com o aparecimento da pólvora, mas apenas cai em desuso nos finais do século XVII.

Principais características do Trabuco:

Esta arma de guerra foi construída com o principal objectivo de bombardear fortificações dos exércitos inimigos ou para lançar projécteis por cima destas, tudo isto graças às grandes parábolas que o projéctil conseguia alcançar. A potência do também chamado trabuco de contrapeso equivale aos actuais canhões de longo alcance. Esta incrível máquina de guerra conseguia atirar vários tipos de objectos e a mais de 800 metros de distância!
trabuco - arma de guerra
Apesar do seu aspecto aparentemente arcaico, a sua precisão era bastante notável. Desde que esta não fosse retirada do lugar onde estava, acertava sempre no mesmo alvo nos disparos seguintes, permitindo atingir fortificações e o interior de muralhas e castelos.
No trabuco podiam ser lançados quase todo o tipo de arremessos: desde pedras, animais em chamas ou até cadáveres infectados, que serviam como armas biológicas, com a finalidade de infectar o povo inimigo.
Esta máquina de aparência simples usa algumas leis da física, como a gravidade, a diferença de potencial e a energia cinética. Por tudo isto, é muito usada nos dias de hoje, como objecto de estudo nas aulas de Física.

Funcionamento do Trabuco:

O funcionamento do trabuco assemelha-se a uma alavanca, onde um braço é levantado até à vertical, lançando objectos a uma velocidade, potência e distâncias bastante surpreendentes. O contrapeso faz com que seja lançada um braço, que não é mais que uma alavanca, onde no seu extremo tem acoplada uma funda, com o projéctil no seu interior. Quanto maior e mais pesado for o contrapeso, maior será a distância e potência alcançada pelo objecto.
Aspecto e funcionamento do trabuco


São cinco as partes principais do trabuco de contrapeso: o contrapeso, a funda, o braço, a guia e a armação. O contrapeso, colocado numa espécie de caixa – suportada por um eixo – faz impulsionar a haste e esta faz disparar o projéctil – colocado no interior da funda – a grande velocidade e potência. Quando o contrapeso cai a haste gira rapidamente, impulsionando a funda ao longo de uma guia. Quando o braço está praticamente a 90 graus do chão, a funda fica na sua extensão máxima, altura em que o projéctil é atirado para a frente.
Esta era sem dúvida uma incrível máquina de guerra, usada durante muitos e muitos anos e que fez com certeza muitos estragos!

sábado, maio 12, 2012

Place'''E - Curiosidades


5 curiosides que você  deveria saber sobre o Planeta






















Por que o céu é azul quando visto da 
superfície da Terra?

A interação da luz do Sol com nossa atmosfera é a responsável pela cor azul que vemos. No espaço aberto, mesmo em presença de luz solar, os astronautas enxergam um céu escuro, porque lá não existe atmosfera. A luz branca do Sol é na verdade composta de ondas eletromagnéticas de vários comprimentos de onda e cada um deles é visto por nós como uma cor diferente. As pequenas partículas de matéria dispersas no ar espalham a luz solar e este espalhamento é tanto maior quanto menor for o comprimento de onda da luz. Assim, o azul, por possuir o menor comprimento de onda entre todas as cores, é o que mais se espalha. Aliás, vale lembrar que o Sol nos parece amarelo exatamente porque a atmosfera espalha a luz azul. O amarelo pode ser visto como a cor branca diminuída de azul. A luz branca do Sol, perdendo parte do seu azul ao atravessar a atmosfera, chega até nós com o aspecto amarelado.
Quando as dimensões das partículas de poeira dispersas na atmosfera são menores que os comprimentos de onda das cores, passam a ocorrer espalhamentos seletivos; somente determinada cor é espalhada e a atmosfera muda de cor. No pôr-do-sol, observa-se um céu mais avermelhado. Acontece que, o Sol estando no horizonte, a luz tem que percorrer uma distância maior no interior da atmosfera para chegar até nós e no caminho perde mais luz azul, permitindo que as cores mais próximas do vermelho se sobressaiam, dando o tom tão procurado por todos aqueles que apreciam um pôr-do-sol.
O que é o cinturião de Van Allen?

A chamada zona ou cinturão de Van Allen são duas regiões que contêm partículas altamente carregadas, acima do Equador terrestre, aprisionadas pelo campo magnético da Terra. O primeiro cinturão de Van Allen está em uma região compreendida entre algumas centenas de quilômetros de altura a até aproximadamente 3 200 quilômetros. O segundo está entre 14 500 e 19 000 quilômetros de altura. As partículas carregadas, principalmente prótons e elétrons, têm sua origem no vento solar e nos raios cósmicos vindos do espaço. Os cinturões têm esse nome em homenagem ao físico americano James Alfred Van Allen, que os descobriu entre 1958 e 1959.
Qual a densidade do ar?

A densidade do ar seco é de 1,29 gramas/litro, à temperatura de 0 °C e ao nível do mar. A água tem uma densidade de 1 000 gramas/litro. Essa baixa densidade do ar é, na verdade, a mais alta que encontramos para ele, pois na medida em que subimos na atmosfera, esse valor vai diminuindo drasticamente.
Quanto mede a massa de Terra?

A massa de nosso planeta é estimada em 6 sextilhões e 588 quintilhões de toneladas. Esse número expresso em quilogramas e em notação científica seria 5,97 . 1024 kg. Essa massa confere à Terra uma densidade média de 5,5 g/cm3.
Um caminhão basculante comum é capaz de carregar cerca de 6 toneladas por viagem. Se numa hipótese absurda, quiséssemos transportar a Terra em caminhões e aos pedaços, precisaríamos de 1021 caminhões, ou seja, 250 bilhões mais caminhões do que habitantes da Terra. Caso esses caminhões passassem por nós à velocidade de 80 km/h, colados um no outro, teríamos que assistir a um desfile que duraria cerca de 10 trilhões de anos, aproximadamente 500 vezes a idade do Universo.

O que existe no interior da Terra?
A Terra é internamente dividida em camadas. A mais externa delas é a chamada crosta terrestre e tem cerca de 0,6% do volume total do planeta. Ela é formada basicamente de rochas como granito e basalto.
Entre a crosta e o manto, existe uma região chamada de Moho, nome dado em homenagem ao sismólogo croata Andrija Mohorovicic (1857-1936) que a descobriu em 1909. Abaixo da Moho está o manto que se estende por cerca de 2 900 km. O manto é composto principalmente de oxigênio, ferro, silício e magnésio e forma 82% do volume da Terra. Existe uma região entre o manto e o núcleo chamada de descontinuidade de Gutemberg, nome dado em homenagem ao sismólogo alemão Beno Gutemberg (1889-1960). O núcleo é composto basicamente de níquel e ferro (daí o nome nife que muitas vezes é usado para se referir ao material que forma o núcleo da Terra) e forma cerca de 17% do volume de nosso planeta. A parte mais externa do núcleo é líquida e se estende até cerca de 5 155 km da superfície da Terra. O miolo sólido chega a cerca de 6 371 km de profundidade e sua temperatura é estimada em 3 850 °C.