Assine pelo Desmatamento Zero

quarta-feira, dezembro 26, 2012

Place'''E - Uma casa no fundo do mar

Uma casa no fundo do mar

Cientistas americanos montam a primeira base de pesquisa submersa do mundo – e vão morar lá dentro



Os biólogos da Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, estavam cansados de ter que voltar à tona depois de fazer pesquisas no fundo do mar. Então, decidiram construir uma base lá mesmo: o laboratório Aquarius, um cilindro de 13 metros de comprimento e 86 toneladas que fica submerso a 4,5 quilômetros da costa da Flórida. Ele acomoda 6 pesquisadores, que passam até 14 dias seguidos vivendo a 20 metros de profundidade.

O Aquarius, que é usado principalmente no estudo de corais, facilita bastante o trabalho dos pesquisadores. Como eles não precisam voltar à superfície, podem passar até 9 horas por dia mergulhando sem sofrer os problemas de saúde que seriam causados pela descompressão. A base se divide em dois compartimentos. O primeiro deles, menor, é uma plataforma de aproximadamente 3 metros, com uma abertura por onde os cientistas entram e saem. É onde ficam os equipamentos de mergulho e o chuveiro, com direito a água quente. Em seguida vem o cômodo principal. Ali estão as camas, os computadores, duas janelas, cozinha com geladeira e micro-ondas. Os equipamentos foram instalados quando a base foi construída, na superfície – ela foi afundada pronta.

{txtalt}
Lar, salgado lar: A vida na base submarina

Já os mantimentos são enviados periodicamente por meio de caixas lacradas, que são submerses com a ajuda de um cabo. Os cientistas comem comida desidratada, como a dos astronautas, e respiram oxigênio armazenado em cilindros ao redor do laboratório. A base também tem, claro, um banheiro – que não polui o oceano. “O Aquarius tem dois reservatórios que armazenam os dejetos”, explica seu diretor, James Talacek. Ao término de cada missão, os resíduos são bombeados para a superfície e descartados na rede de esgoto comum.

Nenhum comentário:

Postar um comentário